Pressão popular irrita deputados em votação da PL 448/19 que taxa empresas de aplicativos

Mais uma vitória para o Brasil conseguida através da pressão popular.

Hoje a Comissão de Aviação e Transportes da câmara dos deputados rejeitou a PL 448/19 que limita a taxa cobrada dos motoristas pelos aplicativos de transportes individual, como Uber e Cabify, a 10% do valor da corrida realizada.

Mais uma vez o estado querendo interferir na iniciativa privada querendo regular o mercado, sendo que quem regula o mercado é o consumidor e não o estado.

É fato que depois desse projeto aprovado as empresas de aplicativos aumentariam os valores de suas corridas prejudicando os usuários e claramente diminuindo a demanda dos serviços prestados.

Sabendo do ônus que o projeto causaria para o usuário, o MBL mobilizou toda a sua militância a pressionar os deputados de suas cidades pedindo o voto contrário ao projeto.

O deputado federal Gelson Azevedo de São João de Meriti, irritado com a pressão sofrida, menciona o MBL e o coordenador Bruno Christo em sua fala na comissão o que causou repúdio dos seus eleitores na cidade.

Empresas como Uber tem mais de 1 milhão de motoristas cadastrados e nunca vi nenhum motorista ganhar menos de 1 salário mínimo por mês. Lutar contra essas empresas é lutar contra o povo sofrido que trabalha muito para colocar o pão de cada dia na sua mesa.