MBL rebate presidente do Rioprevidência que afirma que não vai propor reforma para o RJ

O presidente do Rioprevidência, Sergio Aureliano, afirmou ontem que, caso os estados e municípios sejam mantidos fora da reforma da Previdência que tramita no Congresso, o estado do Rio não irá apresentar projeto na Assembleia Legislativa (Alerj) para fazer a sua própria reforma.

— Eu já tinha até feito o nosso projeto de reforma, alinhado com a PEC 6 [da reforma da Previdência], só que não vai ter mais isso. É muito complicado a gente defender uma reforma sem que os outros estados todos façam, vai começar a ter uma comparação entre os servidores: por que eu tenho uma regra, Minas tem outra, São Paulo tem outra? Qual seria o parâmetro de comparação entre os servidores?— explicou Sergio Aureliano.

O Movimento Brasil do Livre do RJ, coordenado por Bruno Christo e José Maria (Zema), rebateu a fala do presidente alegando que, se ele não propor a reforma para o RJ, apresentará uma reforma do movimento na Alerj e lutará para ser aprovada.

— É muita irresponsabilidade do presidente do Rioprevidência dizer algo assim. O Rio de Janeiro tem o 3º maior déficit previdenciário do País. A relação de ativos e inativos é de 1,14, quer dizer que tem mais aposentados do que servidores. O cidadão já nasce tendo que pagar a aposentadoria do servidor público. O rombo é de mais de 10 bilhões e se o estado não entrar na Nova Previdência, o MBL irá se movimentar para trabalhar nesta área. Eu e o Zema, também coordenador, estamos alinhados quanto a isso, disse Bruno Christo.